ANALFABETISMO DIGITAL FUNCIONAL: PERPETUAÇÃO DE RELAÇÕES DE DOMINAÇÃO?